Anticoncepcional injetável: vantagens e desvantagens

Confira como funciona o anticoncepcional injetável os prós em relação ao uso e os contras do medicamento no organismo feminino.

Mulher olhando pela lupaMuitas mulheres optam por utilizar-se de anticoncepcionais injetáveis ao invés dos tradicionais comprimidos. Sendo um medicamento, é necessário consultar um médico especialista antes de consumi-lo. E assim também, sendo um medicamento existem vantagens e desvantagens, conheça alguns benefícios e malefícios desse medicamento, e consulte um médico para sanar outras dúvidas e ver qual o melhor tratamento para o seu organismo.

Como funciona o anticoncepcional injetável

Mulher preocupadaO anticoncepcional injetável, assim como o próprio nome acusa, é um medicamento que deve ser injetado, trocando as pílulas diárias por somente uma dose do remédio, que impede a ovulação e faz com que ocorram transformações no organismo, deixando o muco cervical mais espesso, assim, nas relações íntimas, os espermatozoides não poderão atingir o óvulo para que ocorra a fecundação.

Não há diferenciação entre o modo de agir do anticoncepcional injetável e do anticoncepcional oral que é o método mais tradicional. Ainda há o anticoncepcional injetável que deve ser tomado de três em três meses, sendo que o mesmo somente possui o hormônio progesterona, fazendo com que a corrente sanguínea os absorva com menos rapidez, permitindo que sua eficácia seja comprovada, permitindo que o organismo possa permanecer por mais tempo com a substância no organismo.

Vantagens do anticoncepcional injetável

Há várias vantagens que podem ser destacadas em relação ao anticoncepcional injetável, sendo que um dos principais benefícios é para as pessoas que esquecem-se de ingerir, diariamente, o anticoncepcional oral, fazendo com que o método injetável deva ser tomado mensalmente ou trimestralmente, sem a necessidade de programar-se todos os dias para tomar o medicamento. Outra vantagem do anticoncepcional injetável é em relação às pessoas que possuem algum tipo de intolerância aos comprimidos convencionais.

O anticoncepcional injetável não causa qualquer tipo de alteração em relação ao ato do casal, fazendo com que o prazer seja o mesmo, além de contribuir para que uma mulher sinta menos dores e incômodos no momento da menstruação que, na verdade, é somente um escape por não haver ovulação, neste caso, agindo como o anticoncepcional oral. A prevenção de doenças como: câncer de endométrio ou no ovário, além de cistos e miomas uterinos também pode ser constatado como um benefício do anticoncepcional injetável.

Desvantagens do anticoncepcional injetável

Mulher com dor de cabeçaMesmo com várias vantagens, o anticoncepcional injetável traz alguns malefícios, principalmente em relação aos efeitos colaterais, sendo que, ao menos nos primeiros meses, é possível perceber que os ciclos menstruais estão desregulados, além de dores como dor de cabeça, nas pernas e no seio, assim como sangramentos incomuns. Estudos ainda não possibilitam a comprovação de que o anticoncepcional injetável é um método seguro em relação à fertilidade da mulher, sem a certeza de que a mesma, ao cessar o uso do medicamento, poderá ter filhos. Algumas doenças podem ser causadas pelo anticoncepcional injetável, assim como as doenças cardiovasculares.

Há vantagens e desvantagens do uso do anticoncepcional injetável, sendo que o mesmo, em questão de funcionamento, permite causar o mesmo efeito que um anticoncepcional oral, devendo visualizar prós e contras para optar pelo método que mais agrada o consumidor. Lembre-se sempre de consultar um médico especialista antes de consumir qualquer tipo de medicamento, ou seja, seja anticoncepcional oral ou injetável, o mesmo deverá ser indicado por um profissional.

Algumas outras coisas como antibióticos acabam cortando o efeito do anticoncepcional. Assista ao vídeo do Mundo Mulheres e saiba o que corta o efeito do anticoncepcional.

Saiba mais sobre anticoncepcionais:

Publicado por Gabriele
Revisado em 12/09/2017

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

Comentários

  • thayna alves

    13/02/17

    Olá, eu tomei a primeira dose dia 11 de outubro de 2016, mais não tomei no dia 11 de janeiro que teria que ter tomado, tive relações mais previnir, após um mês já, quanto tempo leva para menstruar novamente?
    responder

Comentar