As piores epidemias do mundo

Algumas épocas da História foram marcadas por terríveis epidemias que afetaram toda a sociedade, causando um grande número de óbitos.

Epidemias

A história do mundo e da humanidade por vezes se entrelaça com a de algumas doenças. E mais ainda, algumas vezes a história humana é determinada pelo impacto destas enfermidades, devido à destruição causada.

Por outro lado, essas doenças, a seu modo, também refletem sua época, pois são questões como os hábitos de vida, a arquitetura das cidades e a velocidade dos transportes que permitem que muitas delas aconteçam. Algumas epidemias, inclusive, poderiam ter extinto a humanidade. Conheça algumas das principais pestes de todos os tempos.

Mais sobre as piores epidemias do mundo

Varíola

Varíola

Até o século XX, a varíola era uma das doenças mais temidas do planeta. Sua violência e os estados em que ela deixava as vítimas era aterrador, ao ponto de ser classificada como a mais mortífera das enfermidades. A varíola é causada por um vírus e no começo de seus sintomas se parece muito com a gripe, mas quando o caso se desenvolve, cria pústulas pelo corpo que, na época, deixavam marcas (aos sobreviventes) pelo resto da vida.

A varíola foi a principal responsável pela extinção de muitas tribos indígenas nativas norte americanas. Entre o final do século XIX e o fim do século XX, estima-se que quase 300 milhões de pessoas tenham morrido contaminadas, sendo o último caso registrado na Iugoslávia, em 1972. Hoje a varíola é considerada uma doença extinta, felizmente. Sua vacina foi descoberta em 1976.

Cólera

Cólera

Outra epidemia aterradora foi a da cólera, desencadeada por uma bactéria. A enfermidade causa diarreia, febre, náuseas seguidos de vômitos, taquicardia e hipotermia, entre outros sintomas. Sua forma de contágio é o consumo de água ou comida contaminada.

Mais de centenas de milhares de pessoas foram vítimas dessa doença terrível entre 1817 e 1824, principalmente na Europa, principal ponto de proliferação. O maior agente para o surgimento dessa doença é associado aos hábitos de vida das pessoas, sendo que na época dessa epidemia o saneamento básico era péssimo, bem como os hábitos de higienização.

Gripe Espanhola

Gripe Espanhola

O século XX, por mais que tenha desenvolvido a ciência para combater e erradicar as maiores doenças do mundo, também foi responsável por criar uma nova forma de contágio, devido à velocidade com que as pessoas podiam viajar graças aos novos meios de transportes.

Disso, surgiram formas de epidemias globais, com ataque muito rápido. A primeira delas foi a 1918, desencadeada pela Gripe Espanhola, que durou um único ano, terminando em 1919, mas nesse espaço de tempo provavelmente matou 20 milhões de pessoas. Ela foi o primeiro caso da gripe influenza, tão comum hoje, em termos globais.

Leia mais sobre epidemias

28/02/14 por Andre Moreira

   



Mais informações por email

Comentar